quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Resenha: Angus, de Orlando Paes Filho




O livro que lançou Orlando Paes Filho tem sua própria saga a ser narrada, antes de podermos olhar sua história com maior cuidado e critério.

Lançado pela editora ArxJovem, o primeiro livro vem muito ilustrado, com grande trabalho gráfico. No entanto é o único livro por essa editora, por autor e editora não conseguirem chegar a um acordo sobre o projeto de marketing do livro, a parceria foi rompida. A ArxJovem ficou com o primeiro livro, que tinha publicado e o segundo engavetou, alvo até hoje de uma disputa jurídica.

Orlando Paes Filho, depois de romper com a ArxJovem foi buscar abrigo em nova editora, Planeta. Uma editora internacional com bom capital, comprou o projeto gráfico e o trabalho do Orlando. Ela publicaria o terceiro livro da saga de sete, o segundo do Angus a chegar no mercado, além de uma enxurrada de material de apoio, um livro de RPG e livros de cenários e povos mostrados no livro, no entanto, mais uma vez, editora e autor iriam discutir até a rixa virar racha e mais uma vez Orlando encontra-se sem editora.

Sobre o livro em si, observando-se literariamente apenas, é um livro pobre. Construído todo na primeira pessoa, por vezes torna-se lento, cansativo ou rápido demais, como as batalhas finais, dando traços de uma fadiga do autor por terminar o livro. Trechos importantes como o fim do rei Rohdri e da princesa Gwyneth são apenas citados enquanto, dada suas importâncias na história, nada mensura-se.

No entando o maior valor da obra do Orlando não está nas sublinhas literárias. Não há "não ditos", citações veladas nem trechos dúbios onde críticos possam se divertir. Schuartz, salvo engano, jamais dirá "salvo engano" sobre esta obra. O maior valor da obra Angus, o primeiro guerreiro, de Orlando Paes Filho, está na lição moral religiosa que o livro passa. Os ensinamentos de moral, os valores católicos, ou além, bíblicos, e o herói clássico trazem de volta ao cotidiano um conceito abandonado pelas gerações jovens atuais. Em meio a anti-heróis e até heróis pícaros, surge um herói clássico, movido por ideais nobres, resgatando conceitos que deveriam, mas não tem sido passados às crianças de hoje.

Isto sem falar no conteúdo historico irrepreensível do livro, mostrando a região da Inglaterra, Escócia, Irlanda e citando Alemanha e países baixos, narra todos seus povos, paisagens e costumes com precisão universitária. De fato o autor reconhece, com orgulho, a participação de historiados na composição da sua obra, onde pudesse garantir esta fidelidade histórica. Há reveses, claro, como as ilustrações com mulheres esguias e homens de corpos colossais. Há vikings na sua caracterização estereotipada, com elmos de chifres (coisa que nunca usaram de fato) e machados de lâminas duplas (coisa que também não utilizavam), mas são detalhes que se perdem diante da imensidão de conteúdo histórico e valores morais que hoje temos como piegas, mas tão importantes para passarmos à novas gerações: fé, esperança, caridade, prudência, fortaleza e temperância e justiça, de Deus, claro.

É uma obra infanto juvenil literariamente mediana, mas de conteúdo de imensa importância que, além de apontar os mais jovens no caminho da leitura (pois trata-se de considerável catapargio com suas quase 400 páginas), também aponta estes jovens já no bom caminho, o caminho do sábio Angus, que aprende que só há um meio de se vencer, fazendo o bem.

Paes Filho, Orlando
Angus: livro um: O primeiro guerreiro
São Paulo, 2002
398 páginas, valor médio: 50 reais

PS: Esta resenha já é bastante antiga, mas estou publicando-a por que o livro é realmente muito bom, de leitura gostosa e fluída, e também por que o autor foi incrivelmente gentil e me escreveu, comentando a crítica que fiz ao livro, de uma maneira espetacular.

5 comentários:

Delearte Emcampos disse...

Bom saber que continuará a historia agora que será republicado pela Livraria Cultura!

Emanuel Campos disse...

Eu estou particularmente a comprar a coleção, agora que ela irá sair em ordem cronológica e sem problemas de direitos, livros presos, nada! E nem está tããããão caro...

Gustavo Aguiar disse...

Alguém sabe quando os próximos livros serão lançados????

Emanuel Campos disse...

Olá Gustavo, acredita que só vi hoje sua pergunta? Bom, todos os livros estão sendo lançados, ao menos na livraria cultura, e já estão no quarto livro...

Anônimo disse...

é uma pena que boa parte dos livros não é ele que escreve!!