domingo, 19 de fevereiro de 2017

Pokemon me ensinou paternidade


Por incrível que pareça, um desenho que por dez anos, um garoto de dez anos persegue pokemons para promover rinha de animais me ensinou algo de paternidade.

Sei que o mundo maluco de Pokemon, onde há uma férias de verão eterna, e nenhum pai, poucos adultos, todos clones entre sí, pode parecer improvável de ensinar isso, mas não me refiro à relação dos personagens com seus pais, mas sim deles com seus animais.

Particularmente entre Ash e seu dragão Sharizard, a forma como o dragão nunca faz o que seu mestre manda, mais especificamente. 

Filhos de sete meses você nota que te entendem, você pergunta, "cadê o Lucas?", e o danado se esconde para se mostrar depois e então rir quando você falar "aquiiiii".

Agora, a parte estes comandos, eles parecem deliberadamente fazer o oposto do que você pede, mais para o Shadow no Ajin, temporada um.

Mas mesmo quando fazem tudo que você pediu para não fazerem, mesmo quando tudo que você planejou da errado e você perde um torneio Pokemon, não da para não abraça-los em lágrimas e querer eles mais que tudo. Exatamente como no Pokemom.


0 comentários: